Saiba como fazer o diagnóstico financeiro da sua empresa com eficiência

O diagnóstico financeiro é fundamental para apontar soluções visando ao saneamento de problemas como dívidas, excesso de impostos e constantes surpresas na apuração do fluxo de caixa.

Esse processo é realizado partindo de análises de registros contábeis passados, portanto retrospectivas. Uma vez que esses resultados sejam avaliados, são elaboradas projeções, em um processo conhecido como análise prospectiva. Todo material que contenha informações sobre os movimentos financeiros pode ser utilizado, de planilhas contábeis a extratos bancários.

Se a sua empresa está precisando revitalizar suas finanças, é altamente recomendável realizar esse verdadeiro raio X de suas economias. Entenda como fazer lendo com atenção o passo a passo descrito ao longo deste artigo.

 

Determinação do período de análise

Antes de mapear as finanças, é importante estipular um período que possa servir como parâmetro ao elaborar a análise prospectiva, ou seja, a projeção para o futuro. Vamos supor que a sua empresa deseje melhorar a performance comercial no mês de janeiro, tradicionalmente menos intenso em função dos gastos do fim de ano e da desaceleração da economia em geral.

A referência, nesse caso, pode ser a análise retrospectiva do desempenho financeiro de outros meses de janeiro em anos anteriores. Assim, é possível extrair dados relevantes que serão úteis para balizar decisões.

 

Levantamento das características financeiras

Vamos continuar na análise desse hipotético mês de janeiro. Avançando no diagnóstico financeiro, a consultoria responsável ou o profissional designado para a função deverá apurar:

  • em que a empresa mais consumiu seu orçamento e por quê;
  • a origem das receitas e como elas foram reinvestidas;
  • como os custos variáveis foram administrados;
  • possíveis erros na apuração de lucros e custos operacionais

Considerando esses dados, é possível estipular o valor da empresa. O valuation, como é conhecido, serve também como base para direcionar ações objetivando melhorar o rendimento dos negócios.

 

Análise do capital de giro

O capital de giro é imprescindível para manter as operações. Sem esse volume de recursos garantido, torna-se inviável dar continuidade às atividades simplesmente porque não há meios para custeá-las.

Nesse caso, diagnosticar envolve a avaliação criteriosa sobre como a empresa gerencia seu capital de giro. Esse montante é de fato composto por recursos próprios ou existe acentuada dependência de empréstimos? Essas e outras respostas são dadas a partir de um minucioso inventário das finanças.

 

Conhecimento da composição do endividamento

Nessa etapa, os profissionais ou a consultoria financeira contratada se dedicam a conhecer a origem das dívidas, que, afinal, sempre existem em maior ou menor volume.

Sabendo quanto e a quem se deve, é possível negociar condições de pagamento que amenizem o impacto no fluxo de caixa e no capital de giro, reduzindo a asfixia financeira. Além disso, poderão também ser renegociadas as taxas de juros contratadas e feitos reajustes que permitam pagar o que se deve sem comprometer a saúde financeira do negócio.

 

Projeção de cenários

Uma vez conhecida a realidade das finanças, deverão ser delineados três tipos de cenários: um pessimista, outro otimista e um terceiro mais próximo da realidade. Essa é uma forma de facilitar a gestão e o acompanhamento dos resultados, reduzindo o esforço para cumprir metas estabelecidas.

Portanto, o diagnóstico financeiro pode cumprir diversos objetivos em termos de negócios. Afinal, todo resultado depende da correta avaliação das finanças e do quanto se tem disponível em caixa.

Ficou interessado no assunto e quer receber conteúdos tão úteis quanto este? Assine já nossa newsletter e fique sempre informado. Nós nos vemos no próximo artigo!



Redação Grupo Studio

Equipe de especialistas com a missão de auxiliar as empresas de todos os portes, segmentos e regimes tributários.